quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Dicas de Viagem - Os Mapas da Aventura

Guias de viagens são indispensáveis na bagagem de quem espera fazer uma viagem criativa, econômica e recheada de boas surpresas fora da rota das excursões

Valesca: "Os guias são indispensáveis". Foto: Levis Litz
Guia na mão e roteiros na cabeça. Correr o mundo não exige, necessariamente, embarcar em programas definidos, horários apertados e ouvidos antenados aos guias das operadoras de turismo. Cada dia mais, viajantes de todas as partes do mundo descobrem novos mundos usando um guia de viagem como bússola, daqueles que se compra em qualquer livraria, sempre atualizados e com informações preciosas.


Para quem não se imagina num destes roteiros de minutos contados, multidões disputando ao mesmo tempo uma única atração turística, existe uma infinidade de publicações especializadas no assunto. São verdadeiros achados. Elas orientam e revelam culturas, paisagens, curiosidades e recantos nem sempre disponíveis nos pacotes turísticos fechados. E, acima de tudo, podem ser usadas como armas para economizar tempo valioso e poupar dinheiro em viagens tanto no Brasil, quanto no exterior.

"Os guias são indispensáveis", garante a professora de História Valesca Giordano Litz, que periodicamente viaja sem embarcar nas conhecidas excursões que tumultuam as principais atrações no exterior.

Para Valesca, uma aventureira nata, a receita de uma boa viagem deve incluir um veículo próprio ou alugado e hospedagem em locais econômicos como albergues e campings. Os trens e seus passes acessíveis são uma ótima forma de viajar, mas com o inconveniente de horários e percursos. Para quem vai à Europa, conforme Valesca, não deve deixar de incluir na bagagem os guias de viagens. "São completos", avalia.

Com eles, por exemplo, ela rodou, sempre acompanhada com o marido, mais de 10.000 quilômetros pela Itália, Espanha, França, Luxemburgo, Alemanha, Portugal, entre outros, numa viagem realizada anos atrás. Depois, foram trinta dias pelo Peru, Bolívia e Chile. E depois fez uma viagem de 40 dias, de motocicleta, até a Terra do Fogo, na Argentina. Claro, sempre com os guias, mapas e todas as informações que levam às boas atrações turísticas. Mais recentemente esteve no México, Guatemala, Velize, Costa Rica e Panamá.

Para ela, o guia deve ser somado às indicações de amigos e a melhor forma de utilizá-lo consiste em , diariamente, preparar o roteiro do dia seguinte, selecionando o melhor dos museus, monumentos, acessos etc. Nas viagens pelo Brasil, Valesca também não dispensa os guias, com suas detalhadas informações de estradas, restaurantes, dados históricos, serviços, entre outros.

Do tipo de turista que traça seu próprio roteiro, Valesca experimenta de tudo e, depois, compartilha suas descobertas com outros viajantes que pretendem colocar o pé na estrada e ampliar suas próprias fronteiras. "Foram anos vivendo o dia-a-dia de diferentes culturas e precisava compartilhar com outras pessoas", diz.
 
-----------------------------------------------------------------------------------


Nota : Este texto reflete fielmente os fatos quando publicado, entretanto, alguns de seus dados podem ter sido alterado com o tempo. Certifique-se de obter informações atualizadas por outras fontes antes de tomar este texto como referência.

-----------------------------------------------------------------------------------

Comente este texto aqui ou em: fotoserumos@gmail.com ou levislitz@hotmail.com  

-----------------------------------------------------------------------------------

Quer ler mais Histórias de Viagem? Visite: Fotos e Rumos (http://www.fotoserumos.com/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário