segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

História de Viagem - Caxias do Sul, RS: a pequena Itália gaúcha

Igreja de São Pelegrino.
Caxias do Sul, RS. Foto: Levis Litz
Impregnados com o cheiro de vinho, Valesca e eu estávamos, sem pressa, rodando de motocicleta pelas estradas da Serra Gaúcha. O traçado é muito bonito, estendendo-se entre montanhas, cachoeiras e vales. Só é prejudicado pelas constantes curvas que tornam as ultrapassagens um pouco perigosas.


Na Rota Romântica, um sinuoso caminho pela BR 116 e RS 235, paramos para "romantizar" um pouquinho. Ali descobrimos um pedacinho da Itália, que aflorou sentimentos de saudade e recordação da região onde vivíamos em 1990, na província de Trento, norte daquele país. Mas constatamos que esse pensamento não era exclusivamente nosso. A expressão que mais ouvíamos dos viajantes que encontrávamos era: o Sul nem parece Brasil!

As cidades da região são assim mesmo, possuem um certo toque europeu na arquitetura, na limpeza, na organização, no charme, no clima... A história desse lugar se funde com a expulsão dos índios Caingangues, os antigos donos do planalto da Serra Geral e a passagem de imigrantes russos e poloneses. Todavia, mais tarde, foram as colonizações italiana e alemã que, a custo de muito trabalho e persistência, se mantiveram na região. Atualmente, são esses sotaques, de italianos e alemães, que predominam na serra. Uva, vinho e tradição.

Réplica de 1885. Caxias do Sul, RS. Foto: Levis Litz

Tínhamos saído pela manhã de São Lourenço do Sul, passado por Porto Alegre e nosso destino agora era Caxias do Sul. Localizada a 125 quilômetros da capital gaúcha, Caxias do Sul, antigamente chamada de Campo dos Bugres, cresceu e se desenvolveu entre montanhas e vales com pequenos rios que serpenteiam as videiras e plátanos. As paisagens que a cercam são belíssimas. Possui cerca de 400 mil habitantes e é um dos mais importantes pólo metal-mecânico do país, o que resulta numa capacidade de geração de renda. Grande centro econômico - diversidade de produção, desde minúsculos botões a carrocerias de ônibus, prataria, implementos agrícolas e cutelaria - e social da região, Caxias soube preservar seus traços italianos.


Casa de Pedra - Caxias do Sul, RS. Foto: Levis Litz

 Alegre e sempre pronto para uma festa, a simpatia e a cordialidade de seu povo hospitaleiro reflete a felicidade de se viver em um local que soube aproveitar o que existe de melhor da cultura européia. Suas cantinas são famosas e a Festa da Uva, realizada de dois em dois anos, revela toda a grandeza de sua produção. O evento é considerado um dos maiores do país, quando a cidade fica toda decorada com brasões, bandeiras e fitas. Há, ainda, boas opções de compras: malhas, vinhos, artesanato local e artigos típicos como queijo, salame, copa...

Estação de Trem - Caxias do Sul, RS. Foto: Levis Litz

Un giro per la città

Além da gastronomia , a arquitetura e os pontos turísticos são atrações imperdíveis para quem vai a Caxias. O Museu da Casa de Pedra, feita de pedras irregulares rejuntadas com barro e madeira trabalhada a mão, é um orgulho da cidade. A casa foi construída pela famíliaLuchesi no século passado. Próximo aos pavilhões da Festa da Uva fica a Réplica de Caxias do Sul, um conjunto arquitetônico edificado rigorosamente nos padrões das casas construídas entre 1880 e 1885.

A estação de trem, no bairro de São Pelegrino, foi cenário do filme brasileiro "O Quatrilho", que concorreu ao Oscar de 1996. A Igreja de São Pelegrino possui atrações interessantes, como o relógio das flores, as pinturas do italiano naturalizado brasileiro Aldo Daniele Locatelli e uma réplica da Pietá, de Michelangelo - uma escultura doada pelo Papa Paulo VI nas celebrações do Centenário da Colonização Italiana.

A Avenida Júlio de Castilho, que cruza a cidade, possui várias lojas, além do calçadão, onde situa-se a Catedral, na Praça Dante Alighieri. Símbolo da colonização italiana, o Monumento Nacional ao Imigrante foi construído em basalto, com estátuas em bronze, pelo escultor Antonio Caringi.

Caxias do Sul, RS. Foto: Levis Litz
Mangi Che te fà bene!

As manhãs caxienses parecem atrair uma névoa tipicamente européia que cede lugar, "al mezzo giorno", a um sol vigoroso. E é ao meio-dia que temos a nossa principal refeição. Comer bem é uma prerrogativa em Caxias e lugares não faltam. Que tal saborear um pão caseiro recheado com salame e tomar vinho servido nesse pedacinho da nossa Europa? Ou então visitar as adegas para degustar vários tipos de vinhos acompanhados de queijo? Caxias do Sul está logo ali, no Rio Grande do Sul e não é preciso atravessar o oceano para chegar até aquelas agradáveis cantinas.

Arrivederci!
 
-----------------------------------------------------------------------------------
Nota : Este texto reflete fielmente os fatos quando publicado, entretanto, alguns de seus dados podem ter sido alterado com o tempo. Certifique-se de obter informações atualizadas por outras fontes antes de tomar este texto como referência.
-----------------------------------------------------------------------------------
Comente este texto aqui ou em: fotoserumos@gmail.com ou levislitz@hotmail.com
-----------------------------------------------------------------------------------
Quer ler mais Histórias de Viagem? Visite: Fotos e Rumos (http://www.fotoserumos.com/)  

Nenhum comentário:

Postar um comentário