segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

História de Viagem - Inglaterra: Um passeio por Lake District

Uma Caminhada pela Região dos Lagos Ingleses


Fotos: Levis Litz

Descobrir o que a Grã-Bretanha tem a oferecer é conhecer alguns dos mais bonitos lugares da Inglaterra, Escócia e País de Gales. São rotas que nos levam através de cenários fantásticos de elegantes cidades e vilarejos tranqüilos. Até as estradas secundárias e terciárias são asfaltadas e bem conservadas.

Durante cinco dias, eu e dois amigos ingleses - Ian Kerney e seu irmão Jerry, ficamos no Norte da Inglaterra. Foram momentos de caminhadas, excursões, viagens e encontros com pessoas interessantes de várias partes da ilha.

É sempre melhor caminhar com amigos, não somente pela companhia, mas também porque haverá alguém para pedir ajuda em caso de necessidade. Numa manhã ensolarada, partimos de Londres em direção a Birmingham e depois rumo à cidade de Windermere, na região dos lagos ingleses (The Lake District), próxima a fronteira com a Escócia.

Uma área cheia de montanhas, vales, bosques, riachos e lagos que a diferenciam de boa parte da Inglaterra. Chegamos ao entardecer na pequena vila de "Chapel Stile" e nos entrosamos rapidamente com outros viajantes, que como nós, faziam daquele aconchegante lugar bases para suas expedições. Ali apresentamos nosso "Plano de Rota" para a subida aos "Picos de Langdale".

Por questões de segurança, nunca fazíamos caminhadas e acampamentos sem avisar algum amigo ou parente e de quando seria o nosso retorno. Antes de iniciarmos nossa caminhada, Jerry preparou o café da manhã bem ao estilo inglês: chá, ovos mexidos, torradas, lingüiça frita e feijão enlatado. Pronto! Já estávamos bem alimentados.

A chuva que caiu durante a noite cessou, o dia estava claro e assim podíamos apreciar a vista dos majestosos picos que estavam nos esperando. Caminhar pelas montanhas da Inglaterra é surpreendente. O clima é inconstante. Ao se alcançar o topo da montanha, pode-se ser agraciado por um céu brilhante e claro, que em minutos pode se transformar em uma chuva torrencial com limitada visibilidade. Logo no início da caminhada cruzamos com um rebanho de ovelhas à beira de um rio com águas cristalinas e repleto de pedras. Na hora lembrei-me das belezas das Terras Altas na Escócia (Highlands), que tinha conhecido no ano anterior. Um lugar muito fascinante!

Para uma caminhada de qualquer distância, é aconselhável ter a certeza de que se está preparado e cuidar detalhadamente das necessidades que vão surgir durante a jornada. Ian andava na frente como nosso guia, pois já fizera esta rota antes e era o que tinha mais experiência. Eu e Jerry o seguíamos. Preparados para atravessar terrenos acidentados e para nos protegermos do vento gelado e eventuais chuvas, vestíamos
roupas adequadas à prática de caminhadas pelas montanhas: botas resistentes com solado anti-derrapante, um blusão de pile, uma leve jaqueta a prova de água. Na cabeça, um boné ou gorro, dependendo da preferência. Carregávamos ainda numa pequena mochila: um apito, que poderia ser bem útil no caso de ter que atrair atenção numa emergência, uma máquina fotográfica, uma lanterna, um fogareiro, canecos, cantis, chá, biscoitos, frutas, sanduíches, chocolates e um kit de primeiros socorros.

Andar pelas montanhas é como pegar carona, leva algum tempo e exige muita vontade. Sempre utilizávamos rotas conhecidas por serem mais fáceis de seguir. Caminhamos horas e horas entre rochas, trechos com relva e alagados e quando parávamos para descansar, comíamos vorazmente sanduíches enormes, acompanhados de frutas e chá quente.

Numa destas paradas, no alto de uma montanha, deitei de costas, exausto e molhado, dei um gole no meu cantil árabe e fiquei observando as nuvens passarem sobre nossas cabeças. Naquele dia tínhamos encontrado vários montanhistas: irlandeses, franceses e ingleses, todos admiradores deste saudável esporte.
 
 
No caminho de volta à base, pelo outro lado da montanha, atravessamos um charco, onde a água alcançava nossos joelhos. Quando percebemos, estávamos caminhando sobre algo móvel e flácido, o solo vibrava a cada passo que dávamos, parecia com vida, algo difícil de se explicar, a sensação foi horrível. Sem perda de tempo, tratamos de sair daquele lugar - nunca descobrimos o que era.

Foi assim que passamos aqueles dias, conhecendo lugares com cenários naturais e exuberantes, como as ruínas de um forte romano - Hardknott, no topo de outra colina. Apesar do frio extremo, quase insuportável, continuamos a explorar a região. Algumas vezes chovia demasiadamente, deixando a maior parte de nosso equipamento, botas e roupas literalmente molhados.

No último dia resolvemos caminhar menos e contemplar mais. Na viagem de volta a Londres meus pensamentos estavam livres para imaginar outros planos e aventuras e assim, terminava mais um capítulo da rota que tínhamos traçado.
Observar características interessantes que incluem a vida selvagem e a história de cada caminhada traçada, superada e registrada - com fotografias, é ideal para qualquer um que valorize sua integração com a natureza.
-------------
Curiosidade: Lake District está localizado no Reino Unido, ao norte da Inglaterra, próximo a fronteira com a Escócia. O Reino Unido é formado pela Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Durante séculos aquela região foi o mais rico e poderoso império colonial da Terra e ainda hoje ocupa posição de destaque no cenário mundial. Graças à riqueza acumulada, vinda principalmente da exploração colonial, a Inglaterra foi palco da Revolução Industrial, no século XVIII, desenvolvendo as manufaturas têxteis. O Reino Unido é um dos países mais industrializados do mundo, com mais de 90% de sua população vivendo em cidades. A participação da Irlanda do Norte é, até hoje, motivo de "descontentamento", pois a Irlanda, que ocupa a maior extensão territorial da ilha de mesmo nome, reivindica a reunificação das duas Irlandas e a constituição de um país independente.
-----------------------------------------------------------------------------------
Nota : Este texto reflete fielmente os fatos quando publicado, entretanto, alguns de seus dados podem ter sido alterado com o tempo. Certifique-se de obter informações atualizadas por outras fontes antes de tomar este texto como referência.
-----------------------------------------------------------------------------------
Comente este texto aqui ou em: fotoserumos@gmail.com ou levislitz@hotmail.com
-----------------------------------------------------------------------------------
Quer ler mais Histórias de Viagem? Visite: Fotos e Rumos (http://www.fotoserumos.com/)

Nenhum comentário:

Postar um comentário