quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Tai Chi Chuan - A psicologia e a socialização


Tai Chi Chuan - Curitiba - PR. Fotos: Acervo Levis Litz
 Por meio do relaxamento é possível que se viva internamente um ambiente mais livre de estagnação e propício ao início da prática do tai chi chuan. O fluxo energético que parte do indivíduo pode ser posto em movimento em benefício próprio. Para isto um processo de relaxamento profundo auxilia a percepção do próprio corpo e requer um período de trabalho de aquecimento prévio e de uma atitude que congrega pensamento, sentimento e ato. Para se chegar a espontaneidade, que é a ação que acontece com o mínimo de energia, é importante que as tensões internas sejam flexibilizadas, permitindo assim que esta ação flua livremente. “Ocorre uma crise pessoal somente quando alguma rigidez na personalidade entra em excessiva tensão, portanto é um momento igualmente arriscado e oportuno para uma ainda maior soltura e posterior evolução”. LOWEN (1975, p. 95). Os processos de tensão crônicos produzem efeitos devastadores, reduzindo a possibilidade respiratória , implicando em dores e distrações.

Como o corpo / sentimento se protege

As formas de proteção de que um indivíduo encontra em sua vida são muitas, o copo sempre mostra claramente como a pessoa resolveu sua angústia, como muitas vezes a suprimiu. Ombros que se voltam para frente defendendo um peito “magoado”, pode encontrar nesta posição uma sensação de estar defendendo seu peito, porém se encontra posteriormente preso à ela, sem condições de se abrir para um respiração mais ampla e para uma expressão mais eficiente de sua individualidade. A estas estruturas musculares rígidas damos o nome de couraças, pois funcionam como uma forma de escudo perante situações conflituosas.

Postura e Caráter

Ao se observar posturas e conformações físicas se pode perceber claramente que as formas de atuar no mundo, ou seja, os tipos de caráter, se mostram através de tensões bem definidas em áreas bastante específicas do corpo.

“As pessoas extremamente compulsivas têm, com frequência, músculos tensos na região lombar de suas costas, e as pessoas extremamente impulsivas têm em geral músculos das costas relativamente flexíveis. A tensão nestes músculos pode refletir o grau em que uma pessoa estrutura e controla exageradamente sua vida”. DYCHTWALD (1984, p.124).

“Padrões reprimidos ou tensões musculares crônicas que bloqueiam o fluxo de impulsos e sentimentos, não só enfraquecem a eficiência da pessoa em si como limitam também seu contato e suas interações com o mundo reduzindo o sentido de pertinência e de participação no mundo”. LOWEN (1975, p. 131).

Indivíduo e grupo

O ser individual é representado pela identidade da pessoa, ou seja a síntese pessoal sobre si mesmo, incluindo dados pessoais, seus sentimentos e vivências. Mas a constituição de nossa identidade é dada pelos grupos a que fazemos parte. A interação com esses grupos resulta no ser social que sai da sua individualidade para integrar-se com o meio. Na expressão corporal, os movimentos do tai chi chuan podem ser realizados tanto em grupo, como individualmente, entretanto para isso tem que respeitar sempre o encadeamento das posturas. Sozinho, ele terá seu tempo. Em grupo, o praticante – mesmo com as suas diferenças, terá que se esforçar para se ajustar ao tempo do grupo. Para isso é necessário que haja respeito, paciência, segurança, continuidade e confiança.É a relação sendo colocada em prática entre o indivíduo com o social através da realização coletiva do tai chi chuan.



“Às vezes o aprendiz pergunta para o mestre: Como devo fazer este movimento? Sem parar, geralmente sorrindo, o mestre diz: natural e continua o movimento”. Sannino (1992, p. 145). Assim, o praticante e aprendiz de tai chi chuan é trabalhado para que encontre a sua forma (natural) vivenciando em si mesmo as possibilidades do seu desenvolvimento tanto no aspecto individual como em grupo, pois quando necessário o aprendiz poderá pedir auxílio ao mestre ou aos seus companheiros de prática. Nesse sentido, para que a busca pelo conhecimento e a experiência do tai chi seja uma contribuição memorável ao caminho de vida do praticante, a intenção é de que o próprio praticante, depois de compreender a essência dos valores sociais do tai chi chuan , se aprofunde e desenvolva em si mesmo uma prática livre e solta com a intenção de atingir a harmonia, ou seja, que ele mesmo exerça sua própria vontade, ao sabor do vento, da emoção e do equilíbrio interior, mas com o reconhecimento de sua individualidade em consonância com a sociedade em que vive.
Autores
. Emerli Schlögl - Psicóloga
. Levis Litz - Jornalista
Ambos praticantes de tai chi chuan.

Texto originalmente publicado na Revista Tai Chi Brasil - www.revistataichibrasil.com.br/

REFERÊNCIAS


BERGE, Yvonne. Viver o seu corpo: Por uma pedagogia do movimento. São Paulo: Martins Fontes, 1988.
DEWALD, Paul. Psicoterapia: Uma abordagem dinâmica. Porto Alegre: Artes Médicas, 1981.
HUANG, Al Chung-liang. Expansão e Recolhimento – A essência do T´ai Chi. São Paulo: Summus, 1979.
LITZ, Levis. Tai Chi – Rotina Lin Li Wei. Curitiba, Levis Litz, 2007.
SANNINO Annamaria. Métodos do Trabalho Corporal na Psicoterapia Junguiana. São Paulo: Moraes, 1992.
SCHLÖGL, Emerli. Expansão Criativa: Por uma pedagogia da auto- descoberta. Petrópolis: Vozes, 2000.
-----------------------------------------------------------------------------------
Nota: este texto reflete fielmente os fatos quando publicado, entretanto, alguns de seus dados podem ter sido alterados com o tempo. Certifique-se de obter informações atualizadas por outras fontes antes de tomar este texto como referência.
-----------------------------------------------------------------------------------
Comente este texto aqui ou em: fotoserumos@gmail.com ou levislitz@hotmail.com
-----------------------------------------------------------------------------------
Quer ler mais sobre Tai Chi Chuan? Visite: Tai Chi Curitiba (http://www.taichicuritiba.com.br/)  

Nenhum comentário:

Postar um comentário