segunda-feira, 23 de abril de 2012

Exposição fotográfica revela cenas do Recife e Olinda

Mostra Luz Tropical, do fotógrafo Gilberto Marcelino, ocupa sobreloja do TRT, no Recife


Olinda Alta. Foto: Gilberto Marcelino
Comemorando 50 anos de carreira, o fotógrafo Gilberto Marcelino promove a exposição fotográfica Luz Tropical – Recife & Olinda na sobreloja do TRT 6, localizado no bairro do Recife Antigo, na capital pernambucana. A mostra é composta por 27 imagens coloridas e em preto e branco, ampliadas a partir do método de canvas e fine arts e que exibem flagrantes poéticos de casas, ladeiras e paisagens das duas cidades irmãs em suas almas e nuances. A exposição, que segue até a próxima sexta-feira (27), é gratuita.

Norte-rio-grandense de nascimento, Gilberto Marcelino tem ampla experiência no ramo fotográfico e audiovisual. Desde os anos 1970, o profissional acompanha o desenvolvimento da imagem publicitária, com a fotografia em película diapositiva até as mais novas técnicas e tendências da imagem digital – a exemplo da imagem 360º imersiva, Gigapanorâmicas (de ultrarresolução). HDR e Slideshow. A exposição tem o patrocínio da Associação dos Aposentados e Pensionistas da Justiça do Trabalho da 6ª Região (AAPJUSTRA 6).

Serviço
O quê: Exposição Luz Tropical – Recife & Olinda
Onde: Sobreloja do TRT 6 (Cais do Apolo, n.º 739, bairro do Recife Antigo, Recife/PE)
Quando: até 27 de abril, das 9h às 16h
Quanto: A exposição é gratuita
Conheça melhor o trabalho de Gilberto Marcelino em www.gilbertomarcelino.com

Amostra do trabalho que a UFPR desenvolve na Antártica

O doutorando Claudio Adriano Piechnik está divulgando um trabalho que a Universidade Federal do Paraná desenvolve na Antártica

Piechnik já esteve diversas vezes em território antártico realizando pesquisas e pede para a comunidade conhecer, valorizar e apoiar iniciativas como as da UFPR.

A exemplo disso, ele está divulgando um vídeo prestes a conquistar prêmio na International Polar Year (IPY) 2012 Conference.

O mesmo pode ser visto em: www.youtube.com/watch?v=s2lKpTohiDo .

Este vídeo é um dos mais assistidos e está concorrendo a um prêmio.

Fotógrafos mineiros na vanguarda mundial da fotografia de casamento

No Wedding Brasil, maior congresso latino-americano de fotografia de casamento,
Vinícius Matos ministrará palestra inédita no país

Pelo quarto ano consecutivo, o Brasil é palco do maior congresso latino-americano de fotografia de casamento, o Wedding Brasil, que acontecerá entre os dias 21 e 26 de abril, em São Paulo (SP). Os seis dias de evento serão de muita informação e novidades. Grandes nomes da fotografia de casamento do país e do mundo se reunirão para dividir o conhecimento e debater o mercado. 

Nesse time de peso da fotografia nacional está o fotógrafo mineiro, Vinícius Matos, o principal nome do segmento em atuação no Brasil, e um dos mais respeitados do mundo na atualidade. “Tenho muito orgulho em participar Wedding Brasil e de contribuir com o conteúdo do evento. Fico muito feliz, pois estamos mudando aos poucos a fotografia de casamento no país, colocando nossos profissionais na vanguarda do segmento no mundo”, afirma o fotógrafo.

Além de ser um dos coordenadores de conteúdo do Wedding Brasil, responsável pelo convite aos fotógrafos internacionais, Vinícius Matos também ministrará a palestra “Criatividade ao alcance de todos: encontre o seu caminho”. Com temática inédita no Brasil, a palestra abordará a criatividade como uma característica adquirida e não um dom nato, quebrando o paradigma de que o fotógrafo já nasce criativo. 

Outros dois renomados profissionais mineiros, também professores da Escola de Imagem, participam do evento. O fotógrafo Henrique Ribas, Coordenador de Marketing e Ensino da Escola de Imagem, uma das mais conceituada escolas de fotografia do país, fala sobre o “Fluxo de trabalho do fotógrafo de casamento”. Já o fotógrafo Daniel Magalhães ministrará o Workshop “Estúdio sem segredo”.  

Sobre os fotógrafos

Vinícius Matos - Fotógrafo mineiro nascido em Belo Horizonte (MG), 35 anos, formado em Administração de Empresas, com especialização em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas (RJ). Iniciou-se na fotografia em 2006, de forma autodidata e hoje atua como fotógrafo de casamentos e como professor, ministrando workshops por todo o mundo. Vencedor de vários prêmios internacionais pela ISPWP e WPJA, figurou em 2009/2010 na seleta lista Top 50 do mundo. Em 2012 foi premiado pelas associações internacionais ISPWP, Fearless e WPJA. É proprietário da Escola de Imagem e da La Foto, agência especializada em fotografia de casamento e família. 

Henrique Ribas - é coordenador de marketing e ensino na Escola de Imagem, onde também leciona as disciplinas Photoshop, Lightroom, Fotografia Infantil e Ferramentas de Webmarketing para fotógrafos. Há seis anos atua como fotógrafo profissional, com experiência no tratamento, manipulação e gerenciamento do fluxo de imagens. Em 2010, conquistou o “Adobe Certified Expert”, título conseguido através da certificação de competência no software Adobe Photoshop Lightroom.

Daniel Magalhães - Daniel Magalhães desenvolveu seu trabalho desde o início em torno da fotografia de pessoas. Atuou fotografando moda, retratos, books e casamentos para a agência La Foto. Professor na Escola de Imagem desenvolveu métodos objetivos e didáticos de transmitir os conhecimentos sobre luz e como iluminar pessoas. Desde então, é colunista da revista Photos & Imagens onde aborda técnicas de fotografia em estúdio.

Fotografia e design gráfico na Rússia

Inscrições para cursos em julho seguem até 15 de maio. Eles serão realizados de 9 a 20 de julho na Universidade Técnica de São Petersburgo

A Associação Latino Americana Russa (Alar) está com as inscrições abertas para os cursos de verão da Universidade Politécnica de São Petersburgo, na Rússia. Entre as opções de estudos no país localizado no norte da Eurásia estão o de Fotografia com Ênfase em Antropologia Visual, e o de Design Gráfico e Comunicação Visual. As aulas serão de 9 a 20 de julho, em inglês, e têm como objetivo proporcionar aprimoramento profissional em ambiente cultural bastante diferente do Brasil. O investimento é de R$ 510 Euros, além de passagem, estadia e alimentação. O prazo para inscrição segue até o dia 15 de maio.

Durante o curso com ênfase em antropologia, serão discutidos aspectos técnicos da fotografia, como composição, ângulo, velocidade e cor. O conteúdo inclui história, fotografia artística, autores notórios e seus trabalhos. As aulas práticas contarão com saídas fotográficas para produção de imagens de eventos culturais e em locais diversos de São Petersburgo, também conhecida apenas como Piter (Пи́тер), incluindo pontos não tão famosos e a vida underground da cidade. 

Estão programadas visitas a fábricas de cerâmica, ao Festival Popular Anual e a uma comunidade artística que reside em vila próxima da cidade. Após cada sessão de fotos, haverá discussões sobre o material capturado, o qual será utilizado em aulas práticas de tratamento de imagem. São requisitos câmera fotográfica digital SLR, conhecimento básico das especificações técnicas da câmera e computador portátil com o programa Adobe Photoshop instalado.

Design Gráfico e Comunicação Visual

Politécnica de São Petersburgo
A segunda opção de curso, Design Gráfico e Comunicação Visual, propõe aos participantes um novo entendimento sobre o contexto atual da mídia impressa e do posicionamento de marca. Uma das metodologias utilizadas é a observação de coisas simples e ordinárias como ferramenta para a produção de novas imagens e formas. Outras atividades são análises detalhadas de projetos profissionais e aulas de campo para registrar com fotos ou desenhos a natureza, construções e paisagens de São Petersburgo. 

O curso é baseado no entendimento do design gráfico como ferramenta do contínuo processo de desenvolvimento de empatia entre cliente, consumidor e organização. São requisitos o conhecimento básico ou intermediário em design gráfico (identidade corporativa, infográficos e publicidade), conhecimento básico em Adobe Photoshop e Illustrator (qualquer versão CS), computador portátil com Adobe Photoshop, Illustrator e qualquer software de Font Manager e câmera digital. Saiba mais acessando http://www.faculdadesrussas.com/, ou ligue para 41-8493-2507 e 3387-8791. 

-------------------------------------------------------
Fotos e Rumos - www.fotoserumos.com

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Intervenção urbana reflete a ditadura militar em Belém 48 anos depois

Há quarenta e oito anos a cidade Belém também sofria as consequências do golpe militar iniciado em Minas Gerais. O General Ramagem, Chefe do Comando Militar da Amazônia na época, ordenou a prisão de centenas de políticos, estudantes e trabalhadores a partir do dia primeiro de abril de 1964. Os presos foram levados para diversos pontos de Belém que hoje estão desativados ou tem finalidade completamente diferente, como é o exemplo da Casa das Onze Janelas, que atualmente é ponto turístico da capital.


Casa do Estudante CEUP. Foto: Michel Pinho
Esse quadro de violência e censura caiu no esquecimento. Para alertar sobre o grave processo político estabelecido pós-64, o historiador e fotógrafo Michel Pinho interviu no espaço urbano, identificando com placas que imitam sinalização de trânsito os locais onde as prisões e torturas eram executadas. A escolha do 1º de abril, Dia da Mentira, não foi por brincadeira, ela é a data verdadeira do aniversário de 48 anos do golpe.

Sua intervenção foi um grito em protesto contra o terror dos assassinos e torturadores da ditadura em Belém, e buscou alertar para o caráter ditatorial e ilegal do regime implantado no país inteiro. “Não podemos e nem devemos esquecer, a democracia brasileira é uma conquista recente. Os crimes que os agentes do Estado cometeram como estupro, sequestros seguidos de morte e ocultação de cadáveres são hediondos. A anistia foi promulgada em 1979 pelo general Figueiredo e impede a prisão desses homens. Temos que rever essa decisão”, sentencia Michel.

Foto: Michel Pinho
Embora o registro fotográfico tenha se limitado apenas a lugares mais conhecidos como a Casa das Onze Janelas, Largo da Trindade, Casa do Estudante Universitário do Pará, além das avenidas Nazaré e José Malcher, os centros de tortura e prisão na capital paraense foram mais numerosos.

Até hoje não há a versão correta da história e da natureza ditatorial do regime de 1964, seu caráter ilegal e inconstitucional pouco são mencionados, e sua atuação em Belém pouco foi refletida ou questionada nesses 48 anos completados. “A intenção é motivar que os leitores da ação busquem informações, perguntem sobre o silêncio ensurdecedor sobre a ditadura em Belém do Pará.” finaliza o historiador.

A intervenção foi registrada e parte das fotografias pode ser vistas no endereço: http://www.michelpinho.com.br/territorio-do-medo-a-ditadura-militar-em-belem/

Texto: Deborah Cabral

Governador do Paraná, Beto Richa, desmonta TV e Rádio públicas

Do Sindicato dos Jornalistas Profissionais
do Paraná (Sindijor-PR)


"Ontem, quarta-feira (4), mais 25 trabalhadores da E-Paraná (nome fantasia para a Rádio e Televisão Educativa do Paraná) foram demitidos pela gestão do governador Beto Richa (PSDB).


Desde o início de 2011, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (Sindijor-PR) tenta, em vão, dialogar com o governo Beto Richa. O sindicato foi por quatro vezes até o secretário Marcelo Cattani (Comunicação Social), para tentar resolver essa questão.

O Sindijor-PR exige que o governo do Paraná assuma sua responsabilidade e promova concurso público para ocupar as vagas (cerca de 150) de jornalistas para atuar em ambas as emissoras públicas do Paraná.

O último concurso que contratou pessoal para a RTVE aconteceu ainda no século XX - lá se vão mais de vinte anos. É impossível haver uma comunicação pública de qualidade sem que haja um quadro de profissionais equivalente a tamanha responsabilidade.

Ao invés disso, o secretário, e, por extensão, o governador, adotaram uma série de práticas no mínimo questionáveis como, por exemplo: 1) Demitiram quem tinha o nome supostamente ligado ao governo anterior; 2) Demitiram outros 40 trabalhadores ao romper um convênio entre RTVE e a Fundação da Universidade Federal do Paraná (Funpar), para fornecimento de pessoal - a fundação da UFPR realizou teste seletivo e forneceu a mão-de-obra especializada à emissora; 3) Recontrataram as mesmas pessoas demitidas da Funpar pagando cachê.

Como pode o poder público agir com tal irresponsabilidade? O Sindicato dos Jornalistas exige que seja aberto imediatamente um canal de diálogo com o governo Beto Richa para que seja esclarecida a situação na RTVE/E-Paraná e apresentado um calendário para a realização do concurso público e preenchimento das vagas.

Um meio de comunicação complexo como uma emissora de televisão, ou emissora de rádio, precisa de profissionais em grande número e conhecimento técnico para cumprir sua função social. Meios como rádio e TV precisam de jornalistas e radialistas para colocá-los no ar e manter uma programação de qualidade. Não à terceirização!

Não à exploração dos trabalhadores via cachê! A televisão e a rádio públicas do Paraná são patrimônio do povo, e o Sindijor-PR exige que assim sejam tratadas. Com responsabilidade e qualidade na gestão da coisa pública. Sindicato dos Jornalistas Profissionais do ParanáGestão “Sindicato é uma questão de classe”."

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná
Gestão “Sindicato é uma questão de classe”