China - Cidade de Taiyuan

Na Trilha do Tai Chi

Templo do Céu, Pequim. Foto: Levis Litz

Imagine a cena, você está em Pequim, levantas às cinco da manhã, caminha aproximadamente 3 quilômetros do seu hotel até o Parque Tiantan Gongyuan e visita o belíssimo Templo do Céu.

Nas cercanias você tira muitas fotos, observa centenas de praticantes de diversos grupos, pratica com alguns deles, entrevista outros e interage com todos.

Depois você retorna ao hotel, arruma as malas, toma café da manhã e resolve ir caminhando até a estação de trem; cerca de dois quilômetros de distância.

Na grande estação, repleta de gente, descobre que foi informado errado, que a estação era outra e você sai correndo, nem sabendo direito para onde, pois percebe que agora o seu tempo corre contra o relógio.

Ao chegar na estação certa, você resolve pegar o trem bala - o vapt - vupt das linhas férreas chinesas. É tempo ganho.

Até que no fim da tarde, algumas horas distantes de Pequim, você desembarca em Taiyuan, Província de Shanxi.


Cidade de Taiyuan, Província de Shanxi, China. Foto: Levis Litz

Continue com o pensamento de que lá do outro lado do mundo já são 11 horas à frente do Brasil. Você está viajando sozinho, com a mochila nas costas - 17 kg, e com uma enorme expectativa no coração.

Ao chegar na cidade de Taiyuan, você encontra velhos e faz novos bons amigos. Eles são de São Paulo, Campinas, Brasília, Ribeirão Preto, Joinville, entre outros rincões, todos praticantes de tai chi chuan.

É muito bom ter momentos assim - acolhedores, principalmente em terras estrangeiras.

Assim foi meu trajeto para Taiyuan, um ponto inicial de uma mistura de emoções, da realização da minha primeira missão, do meu primeiro objetivo, quase que de uma peregrinação que abrange o tai chi na China.

Brasileiros em Taiyuan. Foto: Levis Litz

E bem como disse o professor e amigo Castro Júnior, que vive a quase dois anos na China: “Levis, essa será a viagem da sua vida!” E realmente foi!

Em Taiyuan tive a grata oportunidade de presenciar uma inesquecível cerimônia de discípulado da Famíia Yang, a comemoração dos 87 anos do Grão Mestre Yang Zhenduo e estar presente no 4º. Torneio Internacional de Tai Chi Chuan da Família Yang.

Discipulado - Família Yang. Foto: Levis Litz
 

O Brasil fez bonito na China e os brasileiros, com certeza, deixaram a sua marca - muito positiva por sinal. Foi um momento de orgulho para a comunidade brasileira do tai chi, em especial aos praticantes do estilo tradicional da Família Yang.
Pessoalmente, estar lá foi muito gratificante e emocionante, afinal fui praticante do estilo Yang por muitos anos e guardo muito respeito e carinho por ele.


Após aqueles intensos dias vividos no norte da China, já com essa primeira missão cumprida de vivência, a necessidade de continuar na trilha por aquele grande país do oriente se fez presente. No que concerne ao meu roteiro vinculado ao tai chi - de Taiyuan, fui para a cidade de Zhengzhou - para encontrar o Grão-Mestre Chen Zheng Lei, depois fui a Vila Chen - o berço histórico onde nasceu o tai chi - ali uma surpresa me esperava - presenciar uma outra cerimônia de discípulado, desta vez, da Família Chen. De lá parti em direção a montanha sagrada taoísta Wudang, local de um tipo diferente de kung-fu (interior) e também reverenciado como o berço lendário do tai chi.


Wudang, China. Foto: Levis Litz

Porém, dessas andanças escreverei meu testemunho mais à frente, tanto em futuras edições da Revista Tai Chi Brasil, como aqui.

Outros relatos sobre minhas aventuras na China, Camboja, Tailândia e Vietnã, além do tema tai chi, poderão ser vistas oportunamente pelo portal Fotos e Rumos - www.fotoserumos.com

Basta ficar, digamos assim, “conectado”.  

Até a próxima!  

Levis Litz
levislitz@gmail.com
www.RevistaTaiChiBrasil.com.br


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Canon lança no Brasil lente EF 24-105mm f/3.5-5.6 IS STM

Bob Wolfenson, um dos maiores nomes da fotografia de moda, expõe em Curitiba

Lendário grão-mestre de artes marciais virá ao Brasil