quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Incentivo à leitura

Projeto 
LEIA E PASSE ADIANTE 
de incentivo à leitura

O Objetivo
Incentivar a leitura, a doação de livros, a interação entre pessoas, o exercício da cidadania e o desapego de boas obras que ficam guardadas e esquecidas.

Como funciona
Uma pessoa doa um ou mais livros para qualquer outra pessoa (amigos, parentes ou interessados) e a incentiva a ler a obra e depois passá-la adiante.

Estratégia
Doar um livro com tema que o leitor aprecia. Por exemplo: se o leitor gosta de história do Brasil, pode doar o livro "Chatô - o Rei do Brasil" ou outro título da mesma linha.

Compromisso
Ao doador apenas é solicitado que escreva em letra de forma e bem destacado na parte interna da capa: LEIA E PASSE ADIANTE!

Sugestões
Para quem quer participar deste projeto, mas não tem livro para doar, Levis sugere que o participante peça a doação para algum amigo ou até mesmo comprar num sebo, onde há livros bons e baratos por poucos reais.

A ideia
A iniciativa surgiu do jornalista e professor de tai chi chuan, Levis Litz, que, ao longo de sua vida, doou centenas de livros para a Biblioteca Pública do Paraná e aos Faróis do Saber de Curitiba. Ele procura sempre incentivar os amigos à leitura. Depois de ouvir tantas histórias de livros que ficam esquecidos em estantes, Levis diz que: "quando vivia na Grã-Bretanha ficava admirado de ver como as pessoas liam em todos os ambientes, ônibus, metrô, trens, pontos de ônibus, cafeterias, nos parques e praças e, a partir desta motivação, queria realizar algo que fosse simples, barato, fácil, prático e interessante para que todos aqueles livros esquecidos em prateleiras no quarto dos fundos, nos baús e caixas, fossem viajar pelas mãos de pessoas para todos os cantos, ruas e ambientes de Curitiba." Agora, em fevereiro de 2013, após ter viajado por mais de 50 países e com muitas ideias e livros na bagagem, Levis coloca em prática a sua ideia de incentivo à leitura.

O primeiro passo
Levis Litz - para dar movimento ao projeto, fez a doação de 50 livros do seu acervo pessoal a 50 pessoas do seu relacionamento, são obras que passam por temas infantis, juvenis - romances e críticos, até aos mais eruditos.

Contato
Levis Litz
Tel: (41) 8409-6858
levislitz@gmail.com
levislitz@hotmail.com

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Tai Chi Chuan - Local de nascimento oficial

Local de nascimento do Tai Chi Chuan - Chenjiagou, oficialmente reconhecida após profunda pesquisa realizada pela Associação Cultural da China. Foto: Levis Litz / Museu - Chenjiagou - China
Em junho de 2007 o jornal People's Daily Overseas publicou um artigo um relatório de pesquisas realizadas por uma equipe multidisciplinar da Associação Cultural da China.

Foto: Levis Litz
O objetivo foi o de estabelecer a origem de várias tradições culturais naquele país. Desta forma, aquele grupo, constituído por especialistas nos campos das Artes Marciais, Cultura e Estudo da Antiguidade, apresentou um relatório oficial do Professor Kang Gewu (Professor do Instituto Chinês de Pesquisas em Wushu e Secretário Geral da Associação Chinesa de Wushu).

O relatório confirmou, após um exame minucioso e pesquisas intensivas submetidas que a Vila Chen (Chenjiagou) é de fato o local de nascimento do Tai Chi Chuan.

O resultado da pesquisa também coincidiu com os estudos do historiador Tan Hao (1887-1959). 

Enfim, para consolidar, confirmar e oficializar tal conclusão, na manhã do dia 21 de agosto de 2007, Fend Jiajun, Deputado Chefe da Associação Nacional de Desportos Chienas, inaugurou uma placa para selar o ato oficial que a Vila Chen como o lugar de nascimento do Tai Chi Chuan.

Fonte
The Essence of Taijiquan, by David Gaffney & Davidine Siaw-Voon Sim. 2009.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Psicomotricidade e Tai Chi Chuan - Uma relação íntima

Para a Ciência

A psicomotricidade é uma ciência que busca estudar o homem através do corpo em movimento e em relação ao mundo interno e externo. Também está relacionada ao processo de maturação, onde o corpo é a origem das aquisições cognitivas, afetivas e orgânicas. É sustentada por três conhecimentos básicos: o movimento, o intelecto e o afeto.

Através da Psicomotricidade é possível que nós ocidentais possamos compreender o tai chi chuan na busca do equilíbrio psicossomático, em uma visão mais científica ao se observar os conceitos da psicomotricidade. Portanto, existe uma grande relação com as teorias dos mestres de tai chi chuan que, através das forças Yin e Yang, se pode conquistar a união do corpo (movimento), da mente (Intelecto) e do espírito (afeto) e retornar ao Vazio.

A partir desta compreensão, desenvolvi o estudo com o foco em apenas dois elementos psicomotores, o tônus e o equilíbrio.

O tônus é um estado de tensão relativa quando o músculo está no seu estado de repouso, está presente em todas as funções motrizes do organismo como o equilíbrio, a coordenação e o movimento. Todo o comportamento comunicativo se relaciona com o tônus e esse se encontra controlado pelo sistema nervoso, desenvolvendo assim um diálogo tônico.

É também, uma função primordial que relaciona o meio com o aspecto intrínseco do indivíduo, a partir dele podemos estruturar a origem do corportamento humano, seu significado nos remonta sobre a importância, não só específica do desenvolvimento motor, mas também toda a sua formação cognitiva.

Segundo Cherng (1998), cada movimento do tai chi chuan é efetuado com uma respiração adequada, a conscientização do movimento e da respiração estimulará de modo automático e, ao mesmo tempo, o corpo físico e o energético (Meridianos de energia utilizados na acupuntura) para um equilíbrio integral do corpo-energia-e mente.

Nosso comportamento e a respiração estão relacionados de forma direta, o indivíduo quando não possui o pleno controle de sua respiração, se torna mais vulnerável a problemas de ordem funcional orgânico ou psicológico, afetando sua qualidade de vida.

Isso influencia diretamente em seu tônus, bloqueando assim os caminhos energéticos do corpo, desenvolvendo os espasmos musculares denominado por Reich como couraça muscular. Essa couraça irá de forma atuante, diminuir, bloquear a circulação do sangue nos vasos e energia nos meridianos, ocasionando disfunções físicas, emocionais e psicológicas.

O equilíbrio para ser compreendido deverá lembrar-se que de forma direta está relacionado ao tônus, pois segundo Fonseca (1998), a contração tônica não gera movimento ou deslocamento, como a contração fásica (contração muscular realizada em fases), ela é essencial para a atividade postural dos músculos que irá fixar as articulações em posições determinadas, cooperando umas com as outras, assim se desenvolve uma atitude de conjunto. Então, o equilíbrio em termos evolutivos e funcionais consolida-se como sendo o triunfo sobre a gravidade e se expressa como a primeira das aprendizagens do corpo e do cérebro.

Um dos benefícios da prática do tai chi chuan é a melhoria da postura. Sendo que o equilíbrio físico é uma função natural do corpo humano, mas por motivos de maus hábitos, tendemos a perdê-lo. Nessa consequência, muitas pessoas desenvolvem vícios e distorções físicas, com isso, não desenvolvem uma consciência de como é ter um perfeito alinhamento estrutural do corpo.

Essa disfunção do equilíbrio provavelmente resultará numa combinação de estados emocionais e físicos negativos, dificultando também a autoconsciência. Portanto, a prática do tai chi chuan reajustará de forma consciente e constantemente a postura, até que o correto equilíbrio estrutural passe a fazer parte novamente da nossa consciência corporal natural, evitando que o indivíduo fique em uma posição errada por muito tempo. O corpo volta ao estado de equilíbrio e funcionará sem bloqueios de acordo com sua forma natural de construção, desgastando-se menos, despendendo menos energia e sua forma permanecerá intacta.

Através da motricidade realizada de forma lenta, suave e descontraída, característica na movimentação do tai chi chuan, busca a reeducação do tônus e da postura (equilíbrio). Liberando as couraças musculares estudadas por Reich e também estimula a consciência corporal.

Portanto, torna-se claro que a prática do tai chi chuan é uma das ferramentas ideais, com seus gestos milenares e que são embasados através de três pilares da cultura chinesa: a filosofia taoísta de equilíbrio, a medicina tradicional chinesa e a arte corporal busca a reeducação de todo o esquema corporal, promovendo assim o equilíbrio psicossomático no indivíduo.


Por Alex Silva Costa

Educador Físico CREF: 063492-G/SP
Especialista em Psicomotricidade pela UNIMONTE – Santos/SP.
Professor da Linhagem da escola Tai Chi Pai Lin.
Discípulo do Mestre Augusto Leitão, introdutor do Tai Chi Pai Lin na Baixada Santista.

Contato:
prof.alexscosta@hotmail.com 
http://professoralexcosta.blogspot.com



--------------------------
Artigo publicado na Revista Tai Chi Brasil (www.RevistaTaiChiBrasil.com.br). Edição nº 5 - Maio/2010.

Tai Chi Chuan: nova modalidade de exercício para idosos

Para a ciência

Lucy Gomes (1)
Márcio de Moura Pereira (2)
Luís Otávio Teles Assumpção (3)

Resumo
GOMES, L., PEREIRA, M.M., ASSUMPÇÃO, L.O.T.

TAI CHI CHUAN: nova modalidade de exercício para idosos.

R. bras. Ci.e Mov. 2004; 12(4): 89-94.

Tai Chi Chuan tem sido largamente praticado na China há séculos. O objetivo deste artigo é resumir os resultados de pesquisa sobre o Tai Chi Chuan apresentados na literatura. Foram selecionados 44 artigos publicados na base de dados MEDLINE entre 1989 e 2004, que estavam de acordo com o critério de inclusão.

Tai Chi Chuan é um exercício de intensidade moderada que, no paciente idoso, tem mostrado: melhora do equilíbrio; promoção de estabilidade postural; melhora da função cardiovascular e ventilatória; reabilitação de pacientes com infarto agudo do miocárdio e artrite reumatóide; e redução da dor e do estresse. É benéfico no controle mental e flexibilidade, melhorando a força muscular e reduzindo o risco de quedas no idoso. São necessários estudos adicionais sobre os efeitos do Tai Chi Chuan para esclarecer quais os outros grupos beneficiados e dar direção a futuras pesquisas.

PALAVRAS-CHAVE: Tai Chi Chuan, idoso, equilíbrio, quedas, aparelho cardiorrespiratório.

Benefícios do Tai Chi Chuan em Idosos


1. Diretora do Mestrado em Gerontologia, Universidade Católica de Brasília (UCB). Professora do Mestrado em Educação Física, UCB. Professora Titular de Clínica Médica, Universidade de Brasília (aposentada). E-mail: lucygomes@agenciacomunica.com.br
2. Mestrando em Educação Física (UCB). Professor de Tai Chi Chuan e Ioga.
3. Professor do Mestrado em Educação Física, UCB. ------------------------------
R. bras. Ci. e Mov. Brasília v. 12 n. 4 p. 89-94 dezembro 2004
------------------------------
Publicado na Revista Tai Chi Brasil (www.RevistaTaiChiBrasil.com.br). Edição nº 4 - março/2010.

Efeitos do Tai Chi nos Sintomas de Fibromialgia e na Qualidade de Vida

Para a ciência

Taggart HM, Arslanian CL, Bae S, Singh K.

Armstrong Atlantic State University, Savannah, GA, USA.

Introdução
Fibromialgia (FM), uma das desordens musculoesqueléticas mais comuns, está associada a altos índices de comprometimento da saúde associados a sintomas limitantes. A causa dessa complexa síndrome é desconhecida e ainda não há cura. Numerosos resultados de pesquisas indicam que a combinação de exercícios físicos e terapias complementares (mente-corpo) são efetivas no controle dos sintomas. T´ai Chi, um exercício chinês antigo, combina as duas coisas.

Objetivo
Investigar os efeitos do exercício do T´ai Chi nos sintomas de fibromialgia e na qualidade de vida.

Método
Participantes com fibromialgia (n=39) formaram um único grupo para fazer aulas de T´ai Chi durante 6 semanas (2x por semana com aulas de 1 hora de duração). Os sintomas de fibromialgia e escala de qualidade de vida foram mensurados antes e após os exercícios.

Resultados
21 participantes completaram no mínimo 10 do total de 12 sessões de T´ai Chi. Apesar da desistência ser mais alta que o esperado, os resultados do FIQ (Fibromyalgia Impact Questionnaire – Buckhardt & Bennett, 1991) e o SE-36 (Short Form-36, Were & Sherbourne, 1992) que medem os sintomas fibromiálgicos e a qualidade de vida, respectivamente, revelaram uma melhora estatisticamente significante do controle dos sintomas fibromiálgicos e da qualidade de vida dos participantes.

-----------
Referência
PMID: 14595996 [PubMed - indexed for MEDLINE]
1: Orthop Nurs. 2003 Sep-Oct;22(5):353-60.
NCBI – PubMed – www.pubmed.gov
U.S. National Library of Medicine and the National Institutes of Health
-----------
Publicado na Revista Tai Chi Brasil ( www.RevistaTaiChiBrasil.com.br ) Edição nº 3 - Jan/2010.

Versão do Inglês para o Português: Levis Litz
Revisor Técnico: Médico Marcelo Sato - CRM: 17.790 – PR.

Avaliação das mudanças da frequência cardíaca, noradrenalina, cortisol e aspectos psicológicos de praticantes do Tai Chi

Para a ciência

Department of Psychology, La Trobe University, Bundoora, Victoria, Australia.

Por Jin P.

O objetivo da pesquisa foi a avaliação das mudanças nos aspectos psicológicos e fisiológicos de praticantes do Tai Chi (33 iniciantes e 33 já praticantes).

Os três braços da pesquisa foram: experiências (novatos vs praticantes), tempo (manhã vs tarde vs noite) e fase (antes de Tai Chi vs durante Tai Chi vs depois de Tai Chi). Esta fase foi uma variável de medidas repetidas.

Os dados preliminares concluíram que a prática de Tai Chi elevou a frequência cardíaca, a excreção noradrenalina em urina e diminuiu a concentração de cortisol salivar.

Em relação ao obtido, os dados resultaram em menos tensão, depressão, raiva, fadiga, confusão e ansiedade, os pesquisados sentiram-se mais vigoroso e em geral eles tiveram menos distúrbio do humor.

Os dados sugerem que a prática do Tai Chi resulta em ganhos que são comparáveis aos achados com exercícios de intensidade moderada. Há necessidade de pesquisas mais específica para constatar se a prática do Tai Chi tem efeitos além desses associados aos exercícios físicos.

-----------

Referência
PMID: 2724196 [PubMed - indexed for MEDLINE]
1: J Psychosom Res. 1989; 33(2):197-206.
NCBI – PubMed – www.pubmed.gov
U.S. National Library of Medicine and the National Institutes of Health
-----------

Publicado na Revista Tai Chi Brasil ( www.RevistaTaiChiBrasil.com.br ) Edição nº 2 - Nov/2009.
Versão do Inglês para o Português: Levis Litz
Revisor Técnico: Médico Marcelo Sato - CRM: 17.790 – PR.

Os efeitos da prática do tai chi em pacientes com diabetes

Para a ciência

Um estudo foi realizado para se conhecer os efeitos da prática do tai chi nos níveis de glicemia, insulina sérica e de receptores de insulina em portadores de diabete melito (DM) tipo 2. Doze pessoas com a idade entre 58-75 anos de idade (66.5 +/- 8.5 anos) com DM tipo 2 participaram desse estudo. Eles foram submetidos a um sistema de práticas do tai chi por oito semanas. A glicemia, a insulina sérica e a atividade dos receptores de insulina foram medidas antes e imediatamente após o estudo de 8 semanas. Os resultados mostraram que durante as oito semanas de prática de tai chi, a glicemia diminuiu (p < 0.05), enquanto que os receptores de alta e baixa afinidade (r1, r2) para a insulina e a capacidade de ligação dos recepetores de insulina de baixa afinidade (R2) aumentou. A insulina sérica aumentou (p < 0.05), mas ainda se apresentou dentro do normal. Na verificação logo após somente uma prática de tai chi, verificou-se que a glicemia, o número de receptores de alta e baixa afinidade de insulina e suas capacidades de ligação (R1, R2) aumentaram (p < 0.05), enquanto que a insulina sérica ficou inalterada. Portanto, as oito semanas de estudo dos efeitos da prática do tai chi demonstraram benefícios sobre as condições de saúde dos pacientes com DM tipo 2".

Por Wang JH

-----------
Referência
U.S. National Library of Medicine and the National Institutes of Health.
NCBI – PubMed – www.pubmed.gov. 1: Med Sport Sci. 2008;52:230-8. PMID: 18487902 [PubMed - in process].
-----------
Publicado na Revista Tai Chi Brasil (www.RevistaTaiChiBrasil.com.br) Edição nº 1 - Set/2009.
Versão do Inglês para o Português: Levis Litz
Revisor Técnico: Médico Marcelo Sato - CRM: 17.790 – PR.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Proceedings of the Biological Society

Documentation of diverse amphibian and reptilian faunas of Guyana prepares scholars for the future

Proceedings of the Biological Society of Washington – In a recent issue, five scientists document 324 species of amphibians and reptiles in Guyana, South America. Fifteen percent of these species are presently not known elsewhere in the world, and several are endangered or critically endangered. These facts emphasize the importance of documenting the world’s biodiversity as an important first step in understanding how to best preserve it.

These data came to light during a larger project to document diverse tropical flora and fauna of Guyana, a country with varied habitats and a long geological history.   Never before has documentation on any large animal group of Guyana been undertaken. This publication will serve both as a field guide for identifying the country’s amphibians and reptiles and as a timely scientific inventory on the state of knowledge of these vertebrate groups. In addition, this work is useful for identifying selected amphibian and reptilian species in nearby areas of Brazil, Suriname, and Venezuela.

Guyana is an ideal country for studying biodiversity. Compared to the amphibian and reptilian faunas of many other countries, those of Guyana are mostly untouched. Also, Guyana presents diverse climates for study—cool and moist isolated highlands on mountaintops, hot and humid lowland Amazon rain forest, drier tropical savannas, major freshwater rivers, and Atlantic beach. Areas of about 2.5 km2 of lowland rain forests can support more than 130 species of amphibians and reptiles, whereas in comparable areas of highlands fewer than 30 species occur. In this 20-year investigation, no two sites studied were identical in species composition.  


This publication contains keys for identifying representatives of the species known to occur in Guyana and brief annotated accounts of most of its species. The accounts provide the current scientific name, original name, some outdated names used in the recent past, type specimens, type localities, general geographic distribution, examples of voucher specimens from Guyana, coloration in life (often accompanied by a color photograph), and comments pointing out interesting subjects for future research. It will be an invaluable tool for future studies in many scientific and other disciplines.   Full text of the article “Amphibians and reptiles of Guyana, South America: illustrated keys, annotated species accounts, and a biogeographic synopsis,” Proceedings of the Biological Society of Washington, Volume 125, Issue 4, 2013, is available here.  

###

Proceedings of the Biological Society of Washington

Proceedings of the Biological Society of Washington is the quarterly journal of the Biological Society of Washington, containing original peer-reviewed research that broadly bears on systematics in the biological sciences (botany, zoology, and paleontology). The Biological Society of Washington is an international society of individuals whose primary interests center on the taxonomy and systematics of eukaryotic organisms. Learn more about the society at www.biosocwash.org.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

História do Tai Chi Chuan

Chen Wang Ting. Foto: Levis Litz
Foi um oficial militar chinês, Chen Wang Ting (1600-1680), quem sistematizou/criou o Tai Chi Chuan (Taijiquan). Ele o fez em 5 rotinas (encadeamentos). Mais tarde, seu descendente Chen Chang Xing (1771-1853) as sintetizou nas formas conhecidas e praticadas até hoje como Lao Jia Yi Lu (Forma Tradicional da Família Parte 1) e Lao Jia Er Lu - Pao Chui (Forma Tradicional da Família Parte 2 - Punho de Canhão).


Chen Chang Xing, também conhecido como Yun Ting, foi quem ensinou o Tai Chi Chuan a Yang Lu Chan (1799-1871). Foi a primeira vez que o Tai Chi Chuan fora transmitido para alguém que não pertencia ao clan da família Chen.



Foto: Levis Litz
Após viver na Vila Chen (Chenjiagou) Yang Lu Chan partiu para Pequim onde modificou a rotina que ele tinha aprendido, adaptando-a de forma que o aprendizado por parte do praticante fosse mais focado nos aspectos terapêuticos. Assim, essa Forma/Sequência tornou-se amplamente conhecida como o Estilo Yang de Tai Chi Chuan. Seguiu-se assim por duas gerações da família Yang até que o seu neto, Yang Cheng Fu desenvolveu a "Grande Forma" que se tornou a mais popular praticada na China e além.



Foto: Levis Litz

Por outro lado, o Tai Chi Chuan estilo Chen tornou-se popular com a ida do mestre Chen Fa Ke (1887-1957) para Pequim. Lá ele deu origem a "Forma Nova da Família" (Xin Jia). Ao final dos anos 50, Chen Zhao Pi, bem como outros mestres, vivia fora da Vila Chen. Assim ele, ao se aposentar aos 60 anos de idade, em 1958, retornou para a Vila Chen para transmitir o Estilo Chen de Tai Chi Chuan para as próximas gerações. Chen Zhao Pi morreu em 1976, foi aluno de muitos mestres renomados, entre eles, seus tios Chen Fa Ke, Chen Deng Ke, Chen Yan Xi e Chen Xin. Historicamente, a China naquele período, ao final dos anos 50 e início dos 60, vivia num período conturbado em que milhões de chineses morreram como resultado da política de Mao Tse Tung. Seu filho, Chen Ke Sen, fortaleceu o Tai Chi Chuan no Condado de Wen (Wen Xià), na Província de Henan.

Foto: Levis Litz
Um jornalista no início dos anos 80 denominou 4 mestres do estilo Chen como "Os 4 Guerreiros de Buda": Chen Zheng Lei, Chen Xiao Wang, Wang Xian e Zhu Tian Cai. Em 2003 Chen Zheng Lei publicou que as formas de Tai Chi Chuan (mãos livres) praticadas na Vila Chen eram: Lao Jia Yi Lu (Forma Tradicional da Família Parte 1), Lao Jia Er Lu - Pao Chui (Forma Tradicional da Família Parte 2 - Punho de Canhão), Xin Jia Yi Lu (Forma Nova da Família Parte 1), Xin Jia Er Lu - Pao Chui (Forma Nova da Família Parte 2 - Punho de Canhão), Xia Jia Yi Lu (Forma Curta Parte 1), Xia Jia Er Lu (Forma Curta Parte 2) e 5 variações de Tui Shou (Empurrar com as mãos).

Em 21 de agosto de 2007, o Chefe-Adjunto da "Associação Nacional de Esportes da China" inaugurou uma placa na Vila Chen para oficializar que a Vila Chen é o local de nascimento do Tai Chi Chuan.

Foi do Estilo Chen que surgiu os demais estilos tradicionais de Tai Chi Chuan: Yang, Wu (Jianquan), Wu (Yuxiang) e Sun. Depois surgiram muitos estilos híbridos oriundos destes.


Grão-mestre Chen Zheng Lei, mestres, discípulos, alunos e praticantes. Foto: Levis Litz

-----------------

-> Referências

. O Livro Completo do Tai Chi Chuan, Wong Kiew Kit
. Chen Style Taijiquan, Sword and Broadsword, Chen Zhenglei
.  Tai-Chi Chuan – Arte Marcial – Técnica de Longa Vida, Catherine Despeux
. A Compendium of Taijiquan Boxing and Weapons, Chen Zhenglei
. A Essência do Taijiquan, David Gaffney & Davidine Siaw-Voon Sim
. Tai Chi - Rotina Lin Li Wei, Levis Litz
. Chen Style Taijiquan - The Source of Taiji Boxing, Davidine Siaw-Voon Sim & David Gaffney
. Chen Style Taijiquan Transmitted Through Generations, Chen Xiaowang
. The Art of Chen Family Taijiquan, Chen Zhenglei
. Revista Tai Chi Brasil, Levis Litz

Vila Chen (Chenjiagou) - China


Vila Chen - Rua principal. Foto: Levis Litz

Vila Chen (Chenjiagou) originalmente, era chamada de Vila Chang Yang. Chen Bu um reconhecido artista marcial, que era da Vila de Dong Tu He (atual Jin Cheng), da província de Shan Xi, partiu em 1368 até que, por fim, acabou se estabelecendo na Vila Chang Yang.


Foto: Levis Litz


Com o passar do tempo, a vila acabou tendo como sua grande maioria, cidadãos descendentes da Família Chen. Assim acabou sendo rebatizada com o sobrenome Chen.

Junto como o nome de Vila Chen (Chen Jia) foi acrescentado a palavra "gou", que significa "vala", que foi criada para drenar a água e evitar inundações que eram frequentes no local na época. Essa vala se estende de norte a sul da vila e, desta forma, fez parte do nome conhecido até os dias atuais como Chen Jia Gou (Chenjiagou).

 
Vala em Chenjiagou. Foto: Levis Litz

--------------------------------------------------------------------------------------------------------
Para saber mais: livro: A Essência do Tai Ji Quan de David Gaffney & Davidine Siaw-Voon Sim - www.chentaijigb.co.uk

Mao Tse Tung


Mao Tsé-Tung. Foto: Levis Litz

Mao Tse Tung foi um político, teórico e líder comunista revolucionário chinês.

Ele liderou a República Popular da China desde a sua criação em 1949 até sua morte em 1976. Sua contribuição teórica para o marxismo-leninismo, estratégias militares, e suas políticas comunistas são conhecidas coletivamente como maoísmo.

Mao é acusado de com seus programas sociais e políticos, como o Grande Salto Adiante e a Revolução Cultural , causar grave fome e danos a cultura, sociedade e economia da China. Políticas de Mao e os expurgos políticos de 1949 - 1975, provocaram a morte de 50 a 70 milhões de pessoas.

Desde que Deng Xiaoping assumiu o poder em 1978, muitas políticas maoístas foram abandonadas em favor de reformas econômicas.

Mao é visto como uma das figuras mais influentes na história do mundo moderno e foi nomeado pela revista Time como uma dos cem personalidades mais influentes do século XX.

-------------------------------------------------------------------------------
Referência: Mao Tsé-Tung - http://pt.wikipedia.org/wiki/Mao_Ts%C3%A9-Tung

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Livro: Cisnes Selvagens

Cines Selvagens - três filhas da China

Por Jung Chang

Ed. Companhia Das Letras

Dos costumes ancestrais às violentas reviravoltas do comunismo, a China passou, em algumas décadas, por uma as mais radicais e amplas transformações já vistas na história da humanidade. Mergulhando nas memórias familiares de três gerações de mulheres, Cisnes Selvagens é o relato verdadeiro, com todos os acentos do drama épico, de uma família que tenta preservar a própria humanidade em meio à vertigem e ao horror da trajetória da China no século passado.

"(...) o general Xue uso sua polícia para assegurar que o homem que sua facção queria na Presidência, Tsao Kun, ganharia o que se anunciava com uma das primeira eleições da China. Os oitocentos e quatro membro do Parlamento tiveram de ser subornados. (...) A 5 de outubro de 1923, Tsao Kun foi eleito presidente da China. (...) Esse episódio entrou na história da china como um exemplo notório de como se pode manipular uma eleição. As pessoas ainda o citam para afirmar que a democracia não dará certo na China. Páginas 20 e 21.

"Um magnífico épico que traz à luz todo o lado humano da turbulenta história chinesa do século XX",
Chicago Tribune


--------------------------------------


Recentemente - sobre a China

"Pela segunda vez na história recente, a China completou uma transição pacífica de poder. Xi Jinping assumiu a chefia do Partido Comunista. Ele também foi nomeado comandante das Forças Armadas, cargo que se imaginava que ele ocuparia só mais tarde. Ele apresentou também um novo comitê permanente do Politburo – quatro dos sete, incluindo Xi Jinping, são filhos de altos dirigentes da primeira geração de chefes comunistas, ainda dos tempos de Mao Zedong.", Jornal da Globo

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Desabado por não receber e-mails por falhas da web


Levis Litz em Bogotá, Colômbia.
Quê dizer, amigos latinos, se te ausentam na calada da noite, no obscurantismo da internet, os seus e-mails que não são entregues para você?

Chiavenato justificaria "as classes dominantes necessitam de mitos para justificar sua dominação (através da manipulação dos e-mails)".

Mas replico, o Brasil não é China para censurar mensagens virtuais.

Galeano complementaria para aqueles que tomam essa iniciativa que "nesse mundo de centros poderosos e subúrbios submetidos, não há riqueza (de palavras obtusas) que não seja, no mínimo, suspeita".
Parodiando Blas de Otero "não me deixam ver o que escrevestes, por quê?"

Se fosse aquele argentino, Ernesto, motociclista que, assim como eu, também viajou pela Patagônia, pensaria "essa divisão de nós latino-americanos é uma completa ficção".

É notório que e-mails desaparecem e não chegam ao seu destino, mas SPAMS, sempre estão vindo sem serem convidados.
Pergunto: até tu Brutus Gugous Virtualis? Sua ingrata que ofereço minha audiência para seus bilhões em lucros.

Como confiar, aferir, reverenciar ou reclamar de algo quase que intocável como Asgard - que está acima de tudo e de todos?

Cortês, Montezuma, Pizarro, Loki, Bush... que exemplos, hein?
Ainda penso: que calderão? O que o Tio Gugou realmente quer?
  
Se não fosse minha equilibrada Valkíria (guerreira nórdica do Valhala), chamada Valesca (guerreira italiana das montanhas da uva), voltaria a idade da pedra, ou melhor, do lápis.

Aliás Fritoj Capra me escreveu - uma carta mesmo, de próprio punho. Nada por e-mail, bacana não? Que inveja dele. Lembro-me de como era bom receber cartas, abrir seus envelopes, guardá-las numa caixa. Ainda tenho centenas de cartas guardadas de amigos da época que vivi no Rio de Janeiro (1983) e na Europa (1989).
E pela moderna ausência de mensagens importantes extraviadas por e-mail, senti-me como Tupac Amaru, ou melhor, como o contemporâneo um certo latino, traído pela mídia paralela corrompida e manipulada.

Chomsky, com certeza, me aconselharia "Levis, a luta nunca termina, as pessoas necessitam de nossa compreensão solidária".
Então, só posso pedir humildemente a Quetzalcoatl (deus asteca, Senhor de Tudo) que não impeça que Tezcatilipoca e Tlazolteotl (deuses, adivinhem do quê?) de castigar esse provedor, nem que seja para tamvém Mictlantehcuhtli (deus do mundo inferior) levar todos os responsáveis para as profundezas do seu reino.
Agradeço a Itzamna (Deus Maia da Cultura) por me conceder ferramentas para poder emergir e aflorar esse devaneio em forma de termos românicos.

Levis Litz
levislitz@gmail.com