quarta-feira, 27 de abril de 2016

Pio Figueiroa e a poética do instante

Pio Figueira é o último convidado a participar do III Projeto F/5, ciclo de palestras e workshops sobre fotografia contemporânea em Goiânia. Entre os dias 29 de abril e 01 de maio, o fotógrafo falará sobre o uso poético da fotografia.


Foto: Pio Figueiroa
Fotógrafo e diretor de cena. É assim que Pio Figueiroa define suas áreas de atuação. Mas o artista pernambucano vai muito além, seu trabalho autoral é um diálogo entre diversas linguagens artísticas que juntas formam verdadeiras histórias visuais. Último convidado do ciclo de palestras e workshops sobre fotografia contemporânea do III Projeto F/5, Pio estará em Goiânia entre os dias 29 de maio e 01 de abril para falar sobre o uso poético da fotografia.


“A mais importante característica da fotografia se revela à medida que ela engendra possibilidades e conceitos. Dessa forma, muito ao contrário de registrar automaticamente impressões do mundo vivido, a fotografia se orienta pela criação, transforma conceitos em cenas. Filosófica, a fotografia está fundada numa relação, e dessa relação se desdobram infinitas possibilidades de se pensar e perceber. Cada cena construída é como uma encruzilhada de olhares e significados cujo tecido invisível amarra o que se vê com o que é visto.”, diz o fotógrafo em um texto ensaio sobre a fotografia.

A carreira de Pio Figueiroa transparece e mescla o que o fotógrafo carregou durante seus trabalhos em diversas áreas de atuação, desde suas origens no fotojornalismo, ainda em Pernambuco, até suas produções atuais, com uma pesquisa que cria um diálogo entre a fotografia, o cinema e a arte contemporânea.

Além de ser fundador do coletivo fotográfico Cia de Foto, Pio já realizou importantes trabalhos individuais como a exposição  “Entretanto”, na Galeria Vermelho, a exposição individual “Caja de Zapatos”, na Guatemala, entre outros. Pio também integra o  conselho curatorial do FestFotoPOA (Porto Alegre) e tem obras nas  coleções do MAM-SP, MASP-Pirelli-2010, e particulares.

Será partindo da aproximação entre as linguagens artísticas e olhando a fotografia como um viés para narrar histórias visuais que o fotógrafo ministrará a palestra “Um uso poético da fotografia”, no dia 29 de abril, ás 20h. A atividade acontecerá na Escola de Artes e Arquitetura da PUC Goiás e possui entrada gratuita, com vagas limitadas à capacidade do local.

Já nos dias  30 de abril e 01 de maio (sábado e domingo), Pio realizará um workshop na sede da WA Imagem onde aprofundará as diversas questões que abarcam o desenvolvimento do trabalho autoral do fotógrafo, realizando uma análise de portfólios e projetos dos participantes inscritos e repensando as etapas de concepção de um projeto fotográfico.   A atividade, que também é gratuita, conta com 20 vagas, previamente preenchidas através de inscrição no site da WA Imagem.

A palestra e workshop com o fotógrafo Pio Figueiroa serão as últimas atividades realizadas pela terceira edição do Projeto F/5, que encerra esse ciclo de debates com a presença de nomes como os fotógrafos João Marcos Rosa, Eugênio Sávio, Nair Benedicto e o curador Diógenes Moura. Interessados em acompanhar mais informações sobre a próxima edição do projeto e outras atividades promovidas pela WA Imagem podem acompanhar o site www.waimagem.com.br.

Sobre o Projeto F/5
Realizado pela WA Imagem com o apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Goiânia, o Projeto F/5 já atingiu em suas edições anteriores cerca de mil pessoas, reafirmando, em sua terceira edição, seu compromisso com o fomento à cultura fotográfica no estado de Goiás. Nesse ano suas atividades acontecem durante todo o mês de abril, contando semanalmente com palestras e workshops gratuitos que visam aprofundar as discussões sobre fotografia contemporânea e autoral brasileira.

SERVIÇOS:
Palestra com Pio Figueiroa
Gratuito
Dia: 29 de abril (sexta-feira)
Horário: 20h
Local: Escola de Artes e Arquitetura da PUC Goiás. Auditório Marisa Roriz - Área III - Setor Universitário.
Vagas: Sujeito à lotação do local

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Liberdade de formar a própria opinião

Penso que numa democracia a liberdade de expressão é primaz. Cada um se manifesta como melhor lhe aprouver, desde que respeitada também a liberdade alheia. 

Por isso escrevo aqui na minha página pessoal e não em de terceiros, por exemplo, que hoje decidi não assistir mais o Jornal Nacional, nem o Jornal Hoje e muito menos o Jornal da Globo devido ao formato de sua linha editorial. 

Afortunadamente há outras opções de programas jornalísticos do âmbito nacional que considero mais interessantes na maneira de como nos passam as notícias. 

As minhas fontes de jornalismo internacionais, por ter vivido meia década além-mar, são muitas. No Brasil, aprecio - entre outras - o jornalismo televisivo com o Heródoto Barbeiro, que atualmente está na Record News. 

Este jornalista (ex-professor de História), de credibilidade e formação ímpar, nos apresenta duas linhas de pensamentos antagônicos (um contra e outro a favor) e deixa que nós, como tele-espectadores pensantes, tenhamos a liberdade para formar a nossa própria opinião. 

Contudo, gostaria de frisar que respeito a escolha de cada um; não quero dizer que devam fazer o mesmo. É apenas a minha escolha - que meu livre arbítrio permite - enquanto houver democracia".

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Qual é o papel social da fotografia?

Projeto F/5 convida a fotógrafa Nair Benedicto para debater questões da atualidade como mídia, feminismo e o papel político da fotografia brasileira.


Indios Surgimento de liderancas no Encontro de Altamira.
Foto de NairBenedicto.jpg

Dando continuidade ao ciclo de palestras e workshops da terceira edição do Projeto F/5 a fotógrafa paulistana Nair Benedicto é a convidada para realizar as atividades que acontecerão entre os dias 08 a 10 de abril. Consagrada através do fotojornalismo, Nair possui um trabalho autoral voltado para as questões sociais e das minorias, trabalhando ativamente em questões indígenas e causas feministas e retratando a situação das crianças e mulheres na América Latina.

Fotógrafa reconhecida internacionalmente, Nair Benedicto tem seu trabalho exposto em diversas instituições, como o Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, o Museu de Arte de São Paulo e o Museu de Arte moderna de Nova York. A fotógrafa também possui diversos livros publicados, sempre trabalhando sua temática através das questões sociais.
Buscando promover um debate sobre o papel da fotografia e do fotógrafo na atual situação política e social do nosso país, a artista ministra a palestra intitulada “Antes de Mergulhar”. A atividade acontecerá na sexta-feira, 08 de abril, às 20h, na Escola de Artes e Arquitetura da PUC Goiás e possui entrada gratuita e limitada à capacidade de vagas do local. 
Nos dias 09 e 10 de abril, Nair realizará um workshop na sede da WA Imagem, onde aprofundará a discussão sobre o fazer fotográfico e seu papel social, discutindo questões sobre feminismo, mídia e o papel político da fotografia. As vagas já estão esgotadas.
“É sobre imobilidade, responsabilidade e conivência que vamos discutir. Toda profissão tem brechas para o exercício digno. Mas, só vamos ter condições de exercitá-las se estamos lendo, estudando, analisando, buscando o que estão tentando todo o tempo usurpar, nossa capacidade de reflexão.”, diz a fotógrafa.
Realizado pela WA Imagem com o apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Goiânia, o III Projeto F/5 ainda receberá, durante o mês de abril, fotógrafos e curadores como Diógenes Moura, João Marcos Rosa e Pio Figueiroa. Para acompanhar a agenda de palestras e workshops, basta acessar o site www.waimagem.com.br.

Sobre o Projeto F/5
Atingindo em suas edições anteriores cerca de mil pessoas, o Projeto F/5 agora está em sua terceira edição, reafirmando seu compromisso com o fomento à cultura fotográfica no estado de Goiás. Nesse ano suas atividades acontecerão durante todo o mês de abril, contando semanalmente com palestras e workshops gratuitos que visam aprofundar as discussões sobre fotografia contemporânea e autoral brasileira.

SERVIÇO:
Palestra com Nair Benedicto
Gratuito
Dia: 08 de abril (sexta-feira)
Horário: 20h
Local: Escola de Artes e Arquitetura da PUC Goiás. Auditório Marisa Roriz - Área III - Setor Universitário.
Vagas: Sujeito à disponibilidade do local

Exposição fotográfica - “Primárias” explora as cores através da câmera de um celular

Sem deixar de lado a nostálgica fm2, a Hasselblad 501 e a sempre parceira Nikon D800, já faz algum tempo que o fotógrafo curitibano Nilo Biazzetto Neto adotou a câmera do seu smartphone como ferramenta de trabalho. A qualidade das imagens capturadas com ela desde o fim de 2014, todas devidamente compartilhadas no Instagram@nilobiazzettoneto, o motivaram a produzir um livro, além de montar e a apresentar ao público a exposição fotográfica “Primárias”.

O evento de lançamento acontece a partir das 18h deste sábado, dia 09 de abril, na Galeria Portfolio. Estarão expostas 78 imagens em diferentes formatos. Na ocasião, também será lançada uma publicação com as fotos da mostra, primeira coleção de livros do fotógrafo e que segue o mesmo conceito da exposição.  

As fotos, retratos do dia a dia de Nilo, não têm filtros. Sofreram apenas alguns ajustes, principalmente no contraste e saturação, feitos diretamente na hora de postar as imagens na rede social do Instagram. Os assuntos são aleatórios, e o critério de escolha para “Primárias” tem como base as cores e formas. “Tudo acaba virando motivo e tudo pode acabar virando imagem”, explica o fotógrafo. 

Nilo Biazzetto Neto

Fundador da Escola Portfolio, atuou no mercado publicitário por mais de 15 anos, mas hoje apenas com a fotografia de gastronomia. Desde 2008, vem se dedicando a projetos autorais, já tendo realizado diversas exposições individuais e coletivas, no Brasil, Uruguai, Argentina, Equador, Colômbia e Portugal. 

Seu interesse pelo Instagram surgiu com a agilidade em fotografar, editar e publicar. No começo, foi relutante devido à baixa qualidade das imagens produzidas pelos smartphones. Mas em setembro de 2014, com a aquisição de um Samsung S5, descobriu novos horizontes. Sete anos se passaram desde que o fotógrafo curitibano Nilo Biazzetto Neto expôs individualmente pela última vez em Curitiba. Foi durante a inauguração da Galeria Portfolio, em 2009.



Serviço
Primárias – Exposição Fotográfica de Nilo Biazzetto Neto.
Abertura – Sábado, dia 09 de abril, às 18h. 
Término – 10 de maio. 
Visitação – Segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 20h. Sábado, das 9h às 12h. 
Local – Galeria Portfolio. Rua Alberto Folloni, 634, Centro Cívico.
Informações – 41.3252-2540 / www.escolaportfolio.com.br

Canon realiza Spot Meeting Revenda para profissionais do setor gráfico



No encontro serão apresentadas novidades e soluções de impressão e digitalização voltadas aos clientes das revendas

Dia 8 de abril, próxima sexta-feira, a Canon do Brasil realiza o Spot Meeting Revenda, iniciativa com o objetivo de mostrar as novidades de impressão e digitalização para profissionais do setor. O evento acontecerá das 8h30 às 13h, na Avenida do Café, 277, na Vila Guarani, em São Paulo.

No encontro, voltado para clientes de revendedoras, serão apresentadas as impressoras imagePRESS C700, imageRUNNER ADVANCE 6255 e Plotter Canon iPF 770 imagePROGRAF.

“Esse  é  o  primeiro encontro voltado para os clientes de revendas, mas já queremos   organizar   mais   encontros  para  poder  apresentar  os  novos equipamentos  e sempre buscar melhorar a experiência desses profissionais”, conta Fabiano Peres, um dos organizadores do evento. 
  
Sobre os equipamentos:

imagePRESS C700

A imagePRESS C700 é o mais novo lançamento da Canon para o mercado de produção leve. Compacta e versátil, a nova iPR C700 proporciona novos níveis de qualidade e produtividade para uma enorme gama de suportes e uma ampla variedade de finalizadores.

A impressora possui velocidade de impressão de até 70 ppm, mantendo a velocidade nominal em mídias não revestidas A4, simplex. Além disso, o equipamento possui excepcional qualidade de imagem com possibilidade de imprimir em vários tipos de retícula, o que proporciona maior qualidade para diversos tipos de necessidade. 

imageRUNNER ADVANCE 6255

A imageRUNNER ADVANCE 6255 proporciona uma produção monocromática rápida e eficiente para ambientes exigentes, esta multifuncional inteligente aumentará os fluxos de trabalho de documentos, protegendo informações confidenciais e reduzindo o impacto ambiental. As principais características da impressora são: produção eficiente e confiável de 55 ppm, painel touch SVGA colorido de 21,3 cm personalizável, capacidade máxima para até 7700 folhas de papel, entre outras funcionalidades que poderão ser conferidas no evento.
  
Plotter Canon iPF 770 imagePROGRAF

O mais recente lançamento da Canon, a iPF770 é uma impressora de grande formato ideal para ambientes com pouco espaço e com a necessidade de imprimir formatos até A0 (914mm).

Essas novas impressoras de grande formato suportam uma vasta variedade de aplicações como pôsteres, documentos técnicos, desenhos e linhas, ampliações diversas e sinalização interna. Ideais para uma variedade de mercados incluindo Arquitetura, Engenharia, Construção, Educação, Escritórios e pequenos varejistas. A nova iPF770 oferece tecnologias avançadas para auxiliar pequenos negócios a maximizar o retorno sobre o investimento.

A iPF770 traz tecnologias avançadas para aumentar a produtividade, entre elas, alta velocidade de impressão em modo rascunho, design elegante e limpo, e software melhorados que ajudam a criar impressões de forma mais fácil e conveniente. O sistema de subtanque de tinta permite substituir os cartuchos vazios durante o trabalho de impressão sem paradas e desperdício.

Serviço

O que: Spot Meeting Revenda
Onde: Avenida do Café, 277, na Vila Guarani, em São Paulo
Quando: dia 8 de outubro, das 8h30 às 13h

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Não se pode mais exercer o nosso direito constitucional de emitir opinião em nosso país?

Bye-Bye Brazil! Says Democracy?

Pois é gente...  que triste...  não há como não se manifestar... 

A falta de respeito à opinião alheia está correndo à solta neste país. Isso já está mais do que notório. Amigos ou não, engatilham suas balas na língua e disparam disparates a revelia. Ódio sendo potencializado por uma mídia pobre de espírito, mas rica de... din-din! Esse sentimento viralizou para todos os cantos. Parabéns políticos, parabéns grandes corporações, parabéns grandes mídias! 

Olha o que aconteceu... Uma professora manifestou sua opinião em sua PÁGINA PESSOAL em uma rede social e...  foi execrada por alguns pais de alunos. Foi tão intenso que ela pediu demissão da instituição. 

Num ato de solidariedade, professores de um renomado colégio de Curitiba, ao qual ela pertencia, fizeram uma carta de apoio ao diálogo e pelo respeito aos educadores.

É bom termos em mente que execrar publicamente uma pessoa pelas suas escolhas, sejam religiosas, sexuais, ideológicas, politico/partidárias, entre outras, é querer cercear, pela violência intrínseca, os direitos de um cidadão livre que vive em uma democracia. 

Caluniar alguém concede o direito ao cidadão atacado em processar o caluniador. Ninguém precisa concordar ou aceitar a opinião do próximo, mas deve respeitar suas escolhas e convicções. Se não for pelo bom caráter de ser um humano, então que seja pelas prerrogativas da lei!

Perguntamos, cadê o respeito, cadê a humanidade? Cadê a liberdade de expressão? 
Cadê a democracia? E a lei, por onde anda? Trocando atos por cascalhos?

-----

CARTA DE APOIO AO DIÁLOGO E PELO RESPEITO AOS EDUCADORES

Cada um de nós, abaixo nomeados, educadores do Colégio Nossa Senhora Medianeira, chegamos e permanecemos nesta instituição devido a um percurso individual, acadêmico e profissional que deve ser respeitado por toda a comunidade escolar. Através desta carta, manifestamos publicamente nossa posição em defesa das instituições democráticas e do Estado Republicano de Direito, uma conquista historicamente construída, e pelo fim da virtualização das relações com a comunidade escolar, que tem desumanizado as pessoas (pais e mães, alunos e alunas, educadoras e educadores).

Manifestamos também nosso apoio inconteste à colega e professora de História do 9º ano, que foi execrada virtualmente por ter-se posicionado politicamente, em seu perfil pessoal do Facebook. A professora, sua biografia, seu percurso, seu engajamento no exercício de uma docência preocupada com a formação integral, cidadã, solidária e não meramente técnica de nossos alunos e alunas, contudo, foi mal interpretada e alvo de uma série de comentários em um grupo, na mesma rede social, e em seu perfil pessoal, com xingamentos à educadora e até ameaças. De modo geral, os integrantes do grupo afirmavam que tal análise fosse doutrinação partidária, ainda que a educadora não tenha agredido a imagem de nossos estudantes ou da instituição, jamais os identificando e os expondo no ciberespaço, mas simplesmente compartilhando uma de suas impressões sobre o contexto atual. Ela estava somente exercitando, pois, em espaço não institucional, sua liberdade de expressão sem qualquer intenção de cercear direito alheio similar.

É evidente que, como em todos os espaços democráticos, dentro desta instituição de ensino, tal como, arriscamos dizer, em qualquer outra, não há unanimidade, nem é o que se busca, tanto entre os educadores e profissionais quanto entre os educandos e suas respectivas famílias. Conviver harmoniosamente e respeitar as diversas liberdades de expressão é uma convicção que reiteramos por meio desta carta. Ou seja, esse foi um episódio entre tantos que já ocorreram e que, esperamos, não se repitam, pela escassez analítica e reflexiva de quaisquer das partes, típica das redes sociais e contrárias ao estímulo do conhecimento escolar.

Portanto, neste momento de crise e polarização do contexto político brasileiro, é de suma importância ressaltar que durante o exercício da docência da professora não houve sequer um episódio que respaldasse tal falta de respeito. Segundo a Constituição de 1988, as liberdades de expressão e manifestação devem ser asseguradas e o dissenso, próprio à democracia, também, levando em consideração a ampla defesa e a presunção da inocência. Ou seja, tal cerceamento desconsidera o Poder Judiciário e a função social da educação e do professor.

O meio virtual não pode ser uma ferramenta de exposição indevida de qualquer pessoa. Reconhecemos a importância do ciberespaço como local de difusão de conhecimento, fusão de culturas e mesmo democratização de saberes. No entanto, certos usos desse meio têm desumanizado nossas relações. Se alguém não concordou com a postagem feita pela referida professora, tem canal aberto para uma conversa pessoal e não virtual, que muitas vezes não nos permite o direito de resposta. Isso vale para qualquer situação: aulas, materiais, tarefas. Grupos virtuais devem servir para troca de informações, campanhas, companheirismo, mas não para execrar, desqualificar, desumanizar ou ameaçar uma pessoa.

Vale ainda ressaltar que a escolha do currículo das diversas disciplinas e etapas escolares não é arbitrária, pelo contrário, é pautada pelo MEC (Ministério da Educação), pelos princípios da educação inaciana e pelo Projeto Político Pedagógico do Colégio Nossa Senhora Medianeira. Logo, enquanto educadores, assumimos um compromisso com a formação da e para a cidadania: na justiça social, no direito à vida digna, no compromisso com o planeta como nossa casa, na formação de pessoas críticas e comprometidas com seu tempo e lugar e, consequentemente, na formação de pessoas que respeitem o outro e sejam conscientes do seu compromisso com um mundo solidário. Isto é, na formação de pessoas competentes acadêmica e humanamente.

Finalmente, como cidadãos, mas sobretudo como educadores, manifestamos nosso apoio à professora, na esperança de que o respeito à pluralidade e diversidade nos espaços formativos seja garantido, por meio de embasamentos teóricos sólidos, gerando espaços de reflexão responsivos. E, acima de tudo, esperamos que o respeito à vida, ao outro, à dignidade, aos direitos fundamentais de todos os cidadãos brasileiros sejam preservados mesmo em meio ao contexto conturbado atual, a fim de evitar a perda de conquistas democráticas e republicanas de difícil e lenta gestão em nossa História nacional. Trabalhamos, diariamente, para a construção de um mundo justo, solidário e capaz de transformar a alteridade como máxima de vida.